page contents

amore a prima vista (volpini italiani e altro)

28 mag 2015

CORRUPTOS E CORRUPTORES




A corrupção é sentida de modo diferente em relação
ao período histórico, ao pais e a cultura de referencia, é e sempre foi universalmente desconhecida como ato positivo. O filosofo Platão, no livro a "Republica", propugna que fosse proibido aos políticos manusear ouro e prata, chegando a dizer que era correto que eles se alimentassem em comedores comuns. Esta ultima me da até vontade de rir, mas seria ótimo obrigar a classe politica (mundial) de  seguir o mando. O limite que diferencia uma amigável troca de favores em prostituição, ou corrupção, é muito incerto. A palavra interesse (inter-est = o que esta no meio), parece não ajudar, ou melhor atrapalha a situação. Porém indica uma medida que pessoas com senso de comunidade poderiam seguir, tendo vontade de colaborar para o bem da pátria, e capacidade de reconhecer as necessidades dos outros,  em troca recebem visibilidade em um campo, aquele politico, que em todas as latitudes é super lucrativo. O barão de Montesquieu (1689-1755), filosofo, histórico, jurista francês, inventor da teoria da separação dos poderes, escreveu que o fundamento de uma boa republica, antes de boas leis era a virtude do próprio cidadão. Ele nos explica que existe uma ligação
muito estreita entre a moral e a politica; as mudanças no antigo sistema de deveres e virtudes dos antigos Romanos, alma daquela sociedade, deflagraram em corrupção. Segundo ele o individuo e a comunidade vivem em uma relação de reciprocidade, e quando decai este acordo, quando   as pessoas perseguem outra finalidade, respeito a finalidades gerais e comuns, se determina a nível politico e social uma verdadeira e própria "desarmonia", chegando a falar de "doença" da alma humana. Se verifica quando se justifica qualquer meio para obter um bem estar, quando se tira de alguém um beneficio. A "doença" é terrível porque para insinuar, utiliza exemplos danosos, blandimento das normas. A corrupção é afinal perda do sentido de justiça, fundamento da vida moral de cada um e da sociedade. E' a virtude moral  que leva ao bem geral, ao contrario o luxo no seu sentido mais amplo, corrompe porque leva a desejos sem limites, a uma excessiva necessidade de prazeres, endereçando o individuo para o interesse particular, e para pular as normas. Pois ai esta uma reflexão: - verdade que os políticos cada dia estão mais corruptos e corruptores, porém a nossa sociedade me parece bem representada,  tem uma leveza intelectual, e um mero requerimento de coisas de pouca conta, que afinal é fácil aceitar o dia a dia, de consequência os representantes parlamentares são simplesmente a outra cara da medalha.